Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

domingo, 26 de outubro de 2014

Menu Mitos e Lendas - Ourang Medan - O navio da morte.

OURANG MEDAN - O Navio da Morte

Aos Amante dos oceanos e de Navios Fantasmas:
Do Holandês Voador ao misterioso Mary Celeste... todas as histórias anteriores sobre navios encontrados à deriva e eternizados como lendas podem ser assustadoras para alguns marinheiros... mas não conseguem chegar ao nível do que aconteceu em fevereiro de 1948, um dos mistérios que intriga até hoje especialistas em fenômenos paranormais e alimenta as mais bizarras teorías de conspiração nada se compara a história de Ourang Medan o Navio da Morte.
Era fevereiro e o ano era 1948 quando o sinal chegou para várias embarcações entre as costas de Sumatra e Malásia. Havia desespero na mensagem que dizia: "Pedimos o auxílio de qualquer embarcação próxima. A tripulação está morta, inclusive o capitão. Há corpos na sala de mapas e na ponte" a mensagem foi seguida por sinais indecifráveis de código morse e, logo após, pela frase "eu morro" que finalizou a transmissão com um silêncio sepulcral.
Alguns navios que receberam a mensagem trabalharam em conjunto para triangular a fonte do sinal e descobriram que ele vinha do cargueiro holandês chamado Ourang Medan. A embarcação mais próxima do navio, o Silver Star, mudou sua rota para prestar assistência e descobrir o motivo daquela mensagem misteriosa.
O Ourang Medan foi avistado à deriva no mar agitado e, conforme se aproximavam, a tripulação do Silver notou que não havia sinal de vida no convés do cargueiro. Decidiram adentrar no navio quando o sinal pelo rádio se mostrou inútil. 
O pedido de socorro não exagerava em detalhes. Estavam todos mortos. Os corpos estavam espalhados pelo convés, pela ponte de comando e o capitão foi encontrado na sala de mapas. O oficial de comunicação estava em seu posto, com as mãos ainda no aparelho telegráfico. O mais bizarro era a forma em que os corpos estavam, seus olhos estavam arregalados, pareciam olhar para os céus e os braços estavam em posição de luta, como se tivessem morrido em batalha, mas não haviam sinais de violência nos corpos ou na embarcação.
A sala da caldeira apresentava um frio incomum para a função daquele local, o que perturbou a tripulação do Silver. Eles resolveram rebocar o cargueiro para um porto próximo, mas quando se preparavam para amarrar as cordas, viram uma coluna de fumaça negra saindo do compartimento de carga, abandonaram o navio às pressas e se afastaram o máximo que puderam, apenas para assistir o Ourang Medan explodir antes de ser engolido pelas águas agitadas, levando para seu túmulo marinho as respostas sobre o que aconteceu com seus tripulantes.
Depois que os relatos da tripulação do Silver foram divulgados, um inquérito se iniciou, mas foi tudo em vão, pois os documentos sobre a carga e a tripulação possivelmente foram parar na mesma sepultura que o navio. Nem mesmo os registros de uma embarcação chamada Ourang Medan foram encontrados. 
A partir de então surgiram as teorias para explicar o que aconteceu no cargueiro, os poucos materiais encontrados diziam algo sobre uma arma biológica que poderia ser lançada no ar para assassinato em massa, esta arma seria usada para assegurar a vitória japonesa na Segunda Guerra, mas algo deu errado quando um dos tambores contendo o material deixou seu conteúdo ser extravasado. Algumas teorias afirmam que isso não explicaria o frio na sala da caldeira e outras dizem que o navio pode ter sido visitado por alienígenas que mataram os tripulantes sem motivos aparentes (isso explicaria a forma como os corpos foram encontrados).
Conspirações japonesas, monstros marinhos, encontro com um espectro vingativo de um navio fantasma e até mesmo alienígenas, não importam afinal. Se o Ourang Medan encontrou algo de extraordinário ou maligno, levou consigo toda a verdade, nos deixando apenas a curiosidade pela verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário