Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Menu Contos: Naquele Tempo

NAQUELE TEMPO

Naquele tempo, quando os romanos haviam profanado a sagrada cidade, e as abominações dos filhos de Israel superavam às de todos os gentios, Rav Shimeon isolara se no deserto. Cônscio que a ignonímea dos israelitas não seria perdoada e, que logo a ira do senhor se acenderia contra àquela terra sem luz, decidira viver os seus dias longe dos hipócritas, que embora lhe adulassem e dirigissem doces palavras, por trás conspiravam para assumir seu posto de Sumo Sacerdote.
Shimeon decidira suportar a solidão, os meneares de cabeças e as vis especulações sobre sua vida. Contudo em momento algum se desviara dos retos caminhos do senhor.
Ora, naquele tempo, Jerusalém se tornara uma cidade plenamente de comércio, não havia mais espaço para adoração de um senhor que não abarrotasse bolsos. Ao povo de Israel não interessava o que iria vender,pagando se bem, a própria carne se não fosse tão doloroso tirar algumas lascas, venderiam de bom grado.
Em Jerusalém residia um poderoso romano que fora general e tornara se um próspero comerciante. Esse homem assim como Shimeon, fora iniciado nos mistérios do Egito e dos Aryas, e em Israel era talvez o único das gentes a ter com os Essênios.
Ao tomar conhecimento de que Shimeon abandora tudo e a todos, Marcus pois esse era seu nome, foi ter com ele,pois não era bom que um Rav fosse visto em companhia de romanos, e nem o contrário.
Marcus fora seduzido por uma filha da nobreza de Israel, esta por sua vez usara de sortilégios dos caldeus para aprisionar o espírito do romano e por fim matá lo.
Shimeon ao avistar o romano, logo tratou de expulsa lo até que ouviu :
"Somos um para a luz"
"Para a luz,um sempre seremos", respondeu Shimeon. Marcus então contou a Shimeon o que se passara, amava uma escrava germânica,contudo, jamais poderia diante de seus patrícios romanos, ter por esposa uma escrava a quem os romanos julgavam feiticeiras, e a jovem de Israel, representava boas oportunidades comercias e fortuna.
Eis que Shimeon respondeu:
"Meu irmão, vós bem sabeis que a obra de uma vida é a construção de um Templo no qual tu te elevarás! As mulheres todas são feiticeiras, e a escrava de quem tu te envergonhas, lhe oferece o uníco bem que possui de bom grado, a outra, embora aos olhos dos demais pareça virtuosa, não passa de uma víbora a espreita! Nunca vá a um templo que os shekels pagam sua entrada, tal lugar nunca será um templo e sim um criadouro de serpentes, nenhum homem tem uma mulher verdadeiramente a menos que ela queira. Teu ouro pode comprar o corpo de uma mulher, entretanto enquanto a possuis, é em outro em que ela imagina estar nos braços.
Uma mulher é como um arco de bronze que é demasiado duro para ti. Se força lo a flexa partirá por alívio, sem jamais atingir o alvo, se compreende lo, serás exímio. Digo te, tua serva é um arco de bronze que por teu valor conquistastes. Tua pretendente, é arco de madeira podre, na batalha se quebrará e morrerás traído por tua vil vaidade. Agora vá irmão, a luz será sempre conosco mesmo quando não pudermos compreender seu brilho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário