Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Menu Mitologia Egípcia: Ptah

PTAH

(Pthe, Peteh) é o deus primordial da criação na mitologia egípcia. Segundo a cosmologia de Mênfis, era o deus dos artesões e arquitetos. A origem de seu nome não é clara, mas supõe-se que a tradução correta seja "abridor" (por causa de sua ligação com a "Cerimônia de Abertura da Boca"). Ptah é associado somente a construção de materias físicos e sem vida, e por isso era comparado com o deus grego Hefesto. 

Ele é descrito como um homem mumificado, com as mãos segurando um cetro formado pelos simbolos do Ankh, was e djed (vida. força e estabilidade, respectivamente). Ele geralmente fica sobre um pedestal que também era um dos símbolos hieróglifos usados para escrever o nome de Ma'at (que representa a justiça) e era a mesma forma que uma ferramente usada por pedreiros e arquitetos para formar uma borda reta. Quando ele é retratado como Ptha-Sokar-Osíris eke usa um disco solar com chifres de carneiro retorcidos de pluas longas ou corora atef. Estátuas dele nesta forma frequentemente incluem uma cípoa de magias do Livro dos Mortos. 

Ptah frequentemente é descrito como uma divindade auto-criada que concebeu o mundo em sua mente e criou a partir de sua fala (identificando-o com Thoth). Ele era patrono dos escultores, pintores, pedreiros, e carpinteiros, dentre outros artesões, tão popular na mitologia maçonica e alguns ramos da teologia cristã, ou como o Livro dos Mortos coloca: 

"um mestre arquiteto e criador de tudo no universo"

Ptah também era um deus do renascimento que, por vezes, foi creditado como o criador da "Cerimônia de Abertura da Boca", ritual religioso praticado no antigo Egíto através do qual se acreditara poder devolver os sentidos a uma múmia ou fazer de uma estátua ou de um templo um objeto detentor de vida. Ele também foi patrono do segundo mês do calendário egípcio, chamado Paopi pelos gregos. 

Ptah era um grande protetor do Egito. De acordo com um mito, ele salvou a cidade de Pelúsio dos invasores assírios. Ele ordenou que todos os vermes nos campos roessem as cordas dos arcos dos inimigos e também as alças de seus escudos, destroindo assim suas armas e fazendo os mesmos fugirem em pânico. Na Pedra de Shabaka (onde esta gravado a teologia menfita, segundo a qual Ptah é o deus supremo, criador do mundo e dos demais deuses) está registrado que Ptah ajudou a resolver a briga entre Hórus e Seth, estabelecendo Seth como o senhor do Alto Egito, enquanto Geb fez de Hórus o senhor do Baixo Egito. Assim, ele foi fundamental na manutenção da dualidade do Alto e Baixo Egito. 

Em Mênfis, ele era dito ser o consorte de Bastet ou Sekmeth. No entanto ele também foi descrito como o marido de Uadjit e de inúmeras divindades locais menores. Ele era o pai de Nefertum e Maahes (com Bastet ou Sekmet). Era tabém o pai adotivo de Imhotep (o polímata deificado que arquitetou a Pirâmide de Saqqara/Djoser). Ele estava ligado a Ta-tenen (colina primordial), um deus da terra conectado com o monte primordial no qual a criação teve início. Nesta forma, ele foi por vezes associado a Néftis na representação do Baixo Egito. 

Ptah se fundio com Sokar (um deus da necrópole) como Ptah-Sokar, a personificação do Sol durante a noite. Ptah-Sokar foi associado com Osíris, tornando-se Ptah-Sokar-Osíris. Ele também estava ligado a Min, o deus da fertilidade. 
O touro Ápis era considerado um "Bá" (uma das partes da alma) de Ptah. Em tempos posteriores, Ápis passou a ser associado com Ptah como sendo sua reencarnação enquanto vivo e associado a Osíris após sua morte. 

Ptah era adorado em todo o Egito, mas seus centros de culto principaos estavam em M^nfis e Heliópolis. Em Mênfis, ele fazia parte da tríade formada por Sekmeth (ou Basteth) e Nefertum. Após Mênfis se tornar a capital do Efito, Ptah se torno um deus criador de todas as coisas, inclusive os deuses membros do Ogdóade de Hermópolis e da Enéade de Heliópolis e a ele foi dado o epiteto de "Aquele que definiu todos os deuses em seus lugares e deu a todas as coias o sopro da vida". 

Ptah era uma divindade tão popular no Egito que dize-se que o nome de Egito em si deriva de uma ortografia grega do nome de um templo em Mênfis, Hwt-ka-PTH que significa "o templo da alma de Ptah".  

Nenhum comentário:

Postar um comentário