Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Contos: Banketsu

Yahmatori Banketsu (vida)

Yahmatori Banketsu sempre teve uma vida difícil, nascido em uma das províncias pobres do reino de Caratur teve que aprender desde muito jovem que o mais forte comanda os mais fracos. Durante sua curta vida Banketsu também aprendeu que existem outras formas de poder alem da pura e simples força bruta. Ainda quando jovem ele matou o feitor que controlava a pequena vila em que vivia organizou os homens e começou uma revolução, esta vila fazia parte de um grupo de 7 vilas que formavam o Feudo da família Hiruma, com a liderança de Banketsu a vila se separou do feudo. A família Hiruma tentou muitas vezes mandar seus soldados para tomar a vila, mas Banketsu já havia conseguido alguns seguidores e sempre conseguia vencer os Hiruma, isso fez com que ele passa-se a ser admirado por mais homens incluindo alguns soldados que então passaram a segui-lo reconhecendo nele um grande líder.

Como haviam perdido uma vila inteira para um simplório aldeão os Hirumas ficaram com o prestigio abalado e isso era terrivelmente perigoso, pois os grandes clãs sempre estavam em guerra vigiando uns aos outros, percebendo que essa situação não podia perdurar o Cabeça da família Hiruma, Toshio, resolveu que deveria barganhar com Banketsu pois te-lo como vassalo seria muito
melhor do que telo como inimigo. Dessa forma Toshio mandou para Banketsu uma condução com vários presentes e junto a eles um convite pomposo para um encontro diplomático entre os dois.

Banketsu aceitou o convite e ambos se encontraram em uma casa de chá que ficava em outra vila do feudo. Durante a conversa depois das presentações, Toshio fez diversos elogios a Banketsu relativos a sua coragem, força e obstinação, o pobre tolo envaidecido acabou por fazer um acordo com o cabeça dos Hiruma. Neste acordo Banketsu concordava em fazer com que sua vila volta-se a fazer parte do feudo então ele teria acesso a um boa quantia de dinheiro e carta branca para recrutar um pequeno grupo de quaisquer camponeses que escolhesse nas sete vilas. Com essas pessoas ele deveria formar um pequeno exercito que seria treinado em armas com o melhor que ele pudesse arranjar se tornando assim um general. Em troca ele deveria lutar a favor dos Hirumas atacando e saqueando os outros feudos, mas de forma que não fica-se evidente que havia uma aliança entre eles, para que os outros feudos pensassem que se tratavam de bandoleiros sem ligações com os Hiruma, assim o Clã de Toshio poderia enfraquecer seus inimigos sem chamar a atenção para si mesmo e muitas vezes ate barganhar favores em troca de uma falsa ajuda contra os bandoleiros.

Em pouco tempo o pequeno exército de Banketsu se tornou uma força a ser considerada e com o produto dos saques ele havia juntado um grande tesouro, com parte deste tesouro ele ampliou suas forças comprando equipamentos de alta qualidade para seu exercito. Comprou também muitos cavalos montado uma ala de Cavalaria, ampliou também o grupo dos piqueiros de 50 para 200 homens. Aos poucos o seu exercito foi se tornando maior e mais temível até que se tornou o exercito mercenário mais forte da região nessa época durante os invernos que era um tempo sem guerras devido a forte neve e o grande frio Banketsu se dedicava a leitura, e Filosofia sempre mantendo sua mente afiada.

Ele gostava de ler sobre a guerra a estratégia chamava para reuniões seus principais comandantes e junto a eles um velho amigo chamado Shiro, para juntos bolarem novas estratégias de combate em conjunto com a magias de seus magos. Ele também gostava de pesquisar sobre itens mágicos sempre atrás de itens que pudessem lhe dar vantagens na guerra. Então chegou um dia em que 4 das grandes familias entraram em guerra pois havia morrido o imperador e haviam 4 pretendentes legítimos cada um requerendo o império para si, eram eles: Os Hiruma, Os Shido, Os Mokuro e Os Iomi.

O exercito de Banketsu foi chamado para lutar ao lado dos Hiruma, mas logo no inicio do combate quando as tropas se chocaram Banketsu foi traído e os quatro exércitos como num passe de mágica se juntaram e atacaram juntos o exercito de Banketsu que agora se encontrava cercado por todos os flancos, não havia situação pior. A luta que ocorreu em seguida foi terrivelmente feroz, mas os 4 exércitos contavam com uma grande superioridade numérica, eles conseguiram subjugar todos os homens de Banketsu, todos foram massacrados e não houveram sobreviventes.

Subjugado e com seu exercito destruído Banketsu foi acorrentado e jogado de joelhos, os 4 generais vieram a seu encontro todos desmontaram e se aproximaram dele, um por um guspiram no seu rosto, o último foi Hiruma Toshio que trazia em seu rosto um leve sorriso de satisfação, vendo aquela face odiosa Banketsu sentiu seu corpo arder em chamas e reagiu violentamente atingindo com os grilhões a cabeça de Toshio que caio com o corpo em convulções com um enorme e sangrento amassado na cabeça deformando parte de seu rosto, os 3 generais se assustaram enquanto Toshio morria, perplexos pela ousadia de Banketsu, então a um movimento de leque milhares de flechas zuniram e Yahmatori Banketsu morreu. Seu corpo foi esquartejado salgado empertigado com todos os símbolos de maldições e desonra e por fim foi queimado em uma fogueira de galhos de pinho verde.

Yahmatori Banketsu (retorno)


Poucas pessoas sabiam que alem de um combatente feroz devido aos anos de combate e treinamento Banketsu também era um homem de outras qualidades, tinha amigos poderosos era versado em muitos idiomas e possuía uma mente brilhante e estratégia. Como ele sabia que poderia ser alvo de uma traição, mais cedo ou mais tarde, Banketsu já havia avisado a um de seus amigos um Mago de nome Shiro especialista em necromancia para ficar preparado caso alguma coisa viesse a lhe acontecer. Shiro através de pesquisas patrocinadas por Banketsu tinha juntado muito conhecimento e estava prestes a ralizar um ritual que segundo ele acreditava seria capaz de trazer seu amigo de volta a vida. Ele conseguiu descobrir onde o corpo de Banketsu fora queimado após sua derrota. Então foi ate o local e depois de ter juntado toda da terra e cinzas do que conseguiu ele adentrou para as profundezas de uma escura caverna onde ficou remodelando dia e noite um boneco de barro do tamanho de seu amigo depois roubou algumas crianças das vilas próximas para executar os vários sacrifícios necessários para o ritual. Após longas 6 semanas de preparação Shiro realizou o ritual mas alguma coisa deu errado Banketsu voltou a vida e verdade, mas já não era um humano e sua personalidade agora estava muito mais fria e cruel, ao perceber seu erro Shiro tentou destruir sua criação para tentar novamente mas acabou sendo morto por ela.

Banketsu agora estava de volta a vida se sentia muito mais forte do que nunca, ele não precisava mais dormir ou comer e após matar seu amigo ele não sentiu nenhum remorso ou culpa ele agora só desejava o poder necessário para voltar a fazer o que mais gostava a guerra. Viajou pelo mundo em busca de poder, pois sabia que mesmo estando mais forte ainda não era a hora de se vingar dos Hiruma descobriu através de um viajante a lenda das duas irmãs da fúria e resolveu ir atrás de uma delas. Após seu sucesso ele agora almeja formar um novo exercito com ele dominar Caratur e todos os reinos que se oporem a ele.

Irmãs da Fúria


Esta historia conta um embate entre Talos o deus da Destruição e Tempos do Deus da guerra, ha muito tempo atrás estes dois grandes deuses entraram em um conflito direto e corpo a cropo porque Talos almejava retirar de Tempus o domínio sobre a guerra anexando o mesmo ao seu domínio de destruição o combate acabou se dando como empatado e Talos desistiu. Mas deste combate uma poderosa energia mágica se formou essa energia era composta parte da fúria parte dos golpes quês os dois deuses desferiram um no outro essa energia empregnou o local e com o passar dos anos se fundiu  a um minerio que forma um metal de duas ligas misturadas um com a essência de Tempus e um com a essência de Talos, esse metal foi descoberto por um anão de nome Dulhpin ele havia sido banido das terras dos anões por ser um traidor e ter assassinado seu irmão, mas Dulphin também era um mestre de forjaria ele encontrou o metal e ficou seduzido por ele após muito tempo de fundição ele conseguiu separar as essências criando dois artefatos espetaculares em forma de pequenos bastões um todo negro avermelhado e outro negro grafite. Dulphin percebeu que os artefatos almejavam lutar um contra o outro e ele não era capaz de reter o poder dos dois então ele batizou as armas como as irmãs da Fúria e as escondeu em um grande labirinto cheio de armadilhas e monstros afim de manter os artefatos a salvo ate que descobri-se uma forma de dominá-las infelizmente ele morreu antes de descobrir.

Dizem que Banketsu encontrou o bastão com a essencia de talos (deus da destruição) e assim que a tocou ela se transformou em sua arma preferida a Nagnata porem com o dobro do tamanho de uma nagnata normal mas tao leve e facil de manegar que ele pode a usar com uma mão apenas se desejar. Banketsu chamou a arma de banryu e esta descobrindo os diversos poderes dela ele tambem tem um elo psiquico com a arma que dizem tambem ter vontade própria.

Autor: MárcioLasombra

Nenhum comentário:

Postar um comentário