Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Menu Mitologia Grega: Os Ventos Mitológicos Gregos

OS VENTOS MITOLÓGICOS GREGOS



Na mitologia grega, os ventos (em grego, Άνεμοι — "Anemoi") eram comandados por Éolo , deus dos ventos; tanto as brisas leves quanto as piores tempestades. A cada um era atribuído uma direção cardinal. Em especial a genealogia dos Quatro Grandes Ventos é controversa, por vezes são colocados como titãs, portanto filhos de Urano, o céu e Gaia, a terra. Entretanto existem outras descrições.
Em Hesíodo, os filhos de Astreu e Eos que são os ventos são apenas quatro: Zéfiro, Bóreas, Euro e Noto. Juntos formam os 4 pontos cardinais. 

- Bóreas (N), o vento norte, frio e violento; em Latim Aquilon.

• Bóreas ou Boreas: (em grego: Βορέας), na mitologia grega, é o vento norte, e, de acordo com Hesíodo, filho de Astreu e Eos, e irmão de Héspero, Euro, Zéfiro e Noto. Ele mora em uma caverna no Monte Haemon, na Trácia. Nas lendas da Ática, ele raptou Orítia, filha de Erecteu, com quem teve vários filhos, dentre os quais os boréadas, Zetes e Calais, Quione a deusa das neves, Aura irmã gêmea de Quione e Cleópatra, esposa de Fineu.

Durante as Guerras Médicas, Bóreas ajudou os atenienses, destruindo os navios dos bárbaros. Ele também ajudou Megalópolis contra Esparta, e era honrado em Megalópolis com festivais anuais. De acordo com a tradição homérica, Bóreas foi o pai de doze cavalos com as éguas de Erictônio, o que é explicado como sendo uma forma figurativa de dizer que estes cavalos eram muito velozes. Na arca de Cípselo ele estava representando raptando Orítia, e no lugar de suas pernas havia serpentes. Festivais de Bóreas eram celebrados em Atenas e outros lugares

- Zéfiro (O), o vento oeste, suave e agradável; para os romanos Favonius.

• Zéfiro: Na mitologia grega, Zéfiro (em grego Ζέφυρος, Zephyros) é o vento do Oeste. É um dos filhos de Eos e Astreu, sendo seus irmãos Bóreas, Noto e Eurus. Foi casado com Íris e vivia numa caverna da Trácia. Na mitologia romana, este deus era associado a Favônio. O mito do vento Zéfiro diz que este fecundava as éguas de certa região da Lusitânia tornando os cavalos dessa zona invulgarmente velozes. Consta na Ode Marítima de Avieno. Um outro dos mitos em que Zéfiro aparece mais proeminentemente é o de Jacinto, um belo e atlético príncipe espartano. Zéfiro enamorou-se de Jacinto e cortejou-o, tal como Apolo. Ambos competiram pelo seu amor, que veio a escolher Apolo, fazendo que Zéfiro enlouquecesse de ciúmes. Mais tarde, ao surpreendê-los praticando o lançamento do disco, Zéfiro soprou uma rajada de vento sobre eles, fazendo com que o disco golpeasse Jacinto na cabeça ao cair. Quando Jacinto morreu, Apolo criou a flor homonima com o seu sangue. Na história de Psiquê foi Zéfiro quem serviu a Eros transportando Psiquê até sua morada. Zéfiro é também considerado uma brisa suave ou vento agradável, pois era o mais suave de todos os ventos tido por benfazejo, frutificante e mensageiro da Primavera. O seu equivalente na mitologia romana é Favónio (Favonius, ‘favorável’), que exercia o domínio sobre a fauna e a flora, podendo controlar as plantas e os animais.

- Euro (L), o vento leste, criador de tempestades; para os marinheiros romanos Vulturnus.

• Euro: (em grego: Εύρος) é o nome dado ao vento de leste na mitologia e geografia da Grécia Antiga. Seu nome entre os marinheiros romanos era subsolanus. Higino lista Favônio como um dos quatro ventos, filhos de Astreu e Aurora (os outros são Zéfiro, Bóreas e Noto) mas, segundo Aulo Gélio favonius é o nome romano do vento que sopra oposto ao Euro. Este vento não é mencionado por Hesíodo como os filhos de Eos e Astreu (que são Zéfiro, Bóreas, Noto e as estrelas).

- Noto (S), o vento sul, quente e formador de nuvens; em Latim Auster

• Noto: Na mitologia grega, Noto (grego antigo: Νότος; em latim: Notus) é responsável pelo vento sul e segundo Hesíodo, Eos, deusa do amanhecer também chamada de Erigenia, e Astreu tiveram três filhos, os anemoi (divindades responsáveis pelo vento) Zéfiro, Bóreas e Euro, além de várias estrelas, destancando-se Eósforos, a estrela da manhã. Higino lista os filhos de Astreu e Aurora como Zéfiro, Bóreas, Noto e Euro[2]. Na mitologia Romana, está associado a Austro Ao contrário dos seus irmãos Zéfiro e Bóreas, a mitologia não registra nenhum filho de Nótus. mÉ responsável por trazer o calor e, por conseqüência, associado ao verão.

Ventos menores: 



• Cécias: Na mitologia grega, Cécias (em grego: Kaikias) é um dos Ventos, deuses responsáveis pelo vento. Cécias é o vento nordeste.

• Apeliotes: Na mitologia grega, Apeliotes é um dos Ventos, deuses responsáveis pelo vento. Apeliotes é o vento sudeste.

• Lips: Na mitologia grega, Lips é um dos Ventos, deuses responsáveis pelo vento. Lips é o vento sudoeste. Também conhecido por sua inteligência e beleza apesar de ser um deus menor

• Siroco: Na mitologia grega, Sirco é um dos Ventos, deuses responsáveis pelo vento. Siroco é o vento noroeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário