Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Menu Artigos: Goetia e os 72 Demônios Parte 01

GOETIA E OS 72 DEMÔNIOS Parte 01: 


Goetia ou Ars Goetia, refere-se a uma prática que inclui a invocação e evocação de "anjos" e "demônios" ou "espíritos que não seguem linhas evolutivas". Baseia-se na tradição judaico-cristã em que o rei de Israel, Salomão, que fora agraciado pelos anjos com um sistema que lhe dava poder e controle sobre os principais demônios da Terra e, consequentemente, a todos os espíritos menores governados por eles. Desta forma, o rei Salomão e, posteriormente, seus discípulos teriam toda espécie de poderes sobrenaturais, como invisibilidade, sabedoria sobre-humana e visões do passado e futuro.
A Arte Goética, (Latim, provavelmente: "A Arte de Uivar"), geralmente chamado só de Goetia (ou Goecia), é a ensinada na primeira parte das Clavículas de Salomão, um grimório do Século XVII. Este primeiro capítulo é conhecido como "Lemegeton Clavicula Salomonis" ou "A Chave Menor de Salomão" e nele são descritos todos os 72 Espíritos Infernais assim como todo o sistema que supostamente havia sido usado pelo rei Salomão.
Estes 72 Espíritos são conhecidos como daemons, porém mesmo sendo em numero de 72 espíritos eles possuem 76 selos de evocações e não 72 selos, pois 4 desses espíritos possuem 2 selos cada um e não apenas 1 como os demais. 

Observações:
- Alguns destes espiritos não possuem ilustração clássica mas sempre que possível a mesma acompanhará a descrição bem como a imagem do selo. 
- Como se tratam de 72 espíritos demoníacos esse post sera divido em 03 partes. 
- Os espíritos não estão em ordem de poder, casta ou mesmo título. 

BAAL

Baal (por vezes soletrado Bael, Baël (francês), Baell) é um demônio, é amplamente mencionado no Antigo Testamento, como o principal deus pagão dos fenícios, geralmente associado com a deusa Astaroth. Baal é descrito como um deus semita e era adorado pelos cananeus e fenícios. Baal significa "O Senhor", que deliberou sobre o alto deuses montados sobre o santo monte do céu. Baal era principalmente um deus do sol, chuva, trovões, fertilidade e da agricultura e, em algum momento, ele ultrapassa o deus da água, Yam. Baal é o filho do deus Dagan ou Dagon, outro deus Cananeu semita. Foi este "deus do grão", que permitiu a ser Baal renascido.
Selo de Baal:
Originalmente, o deus semita Hadad — também chamado de Baal — foi venerado por arameus que levaram o seu culto a outras partes do Mediterrâneo.
Baal Rafar não é um demônio cristão. De acordo com o demonologia cristã, Baal ("Bael geralmente soletrado" neste contexto; há uma possibilidade que as duas figuras não estão conectadas) estiveram classificadas como o primeiro e rei principal no inferno, governando sobre o leste. De acordo com alguns autores o Baal é um duque, com as sessenta e seis legiões de demónios sob seu comando. O termo "Baal" é usado em várias maneiras no Antigo Testamento, com o significado usual do mestre, ou do proprietário. Veio significar às vezes o deus pagão local de um pessoal particular, e ao mesmo tempo todos os ídolos da terra. Igualmente encontra-se em diversos lugares no Baalim plural, ou em Baals (2:11 dos juízes, 10:10). Havia muitas variações, tais como o deus de sol, o deus da fertilidade, e Beelzebuth, senhor das moscas ou Baal Hamon.
Durante o período inglês do Puritano, o Baal foi comparado a Satanás ou considerado seu assistente principal. De acordo com Francis Barrett, tem o poder fazer aqueles que o invocam de forma invisível, e para alguns demonologistas, seu poder é mais forte em outubro e segundo algumas fontes, pode fazer povos sábios, de terem problemas de voz (com um tom vocal caracterizada pela fraqueza da intensidade e excessivo soprosidade), e carregar cinzas em seu bolso.[carece de fontes]
Enquanto seu antecessor semítico foi descrito como um homem ou um touro, o demónio que o Baal assumia, na tradição dos grimórios, a forma de um homem, de um gato, de um sapo, ou de combinações destes. Uma ilustração do livro Dictionnaire infernal (Dicionário do Inferno), de Collin de Plancy em 1818 colocou de forma curiosa, as cabeças das três criaturas em um jogo dos pés da aranha.
A ideia do Baal como um demónio, foi criada quando a cristandade transformou deuses antigos em demónios e o demonologia dividiu assim, a população demoníaca do inferno em diversas hierarquias. O Baal, deus Semita, não escapou, transformando-se em uma entidade separada do Beelzebub. Mas na verdade desde muito antes do cristianismo já existe referência sobre Baal, nos escritos judaicos antigos, por exemplo no Livro dos Reis. O profeta Elias propõe um combate contra os profetas de Baal e segundo o Livro os derrota a todos com fogo enviado dos Céus por Deus.

VALEFAR


Na demonologia, Valefar, é o Duque dos infernos. Ele tenta roubar as pessoas e está a cargo de um bom relacionamento entre os ladrões, porém, mais tarde, depois ele traz-los para a forca. Valefar é considerado um bom familiar para os seus associados "até que sejam apanhados na armadilha."Ele comanda dez legiões de demônios.
Selo de Valefor
Valefar, é representado como um leão com a cabeça de um homem, ou como um leão com a cabeça de um jumento..3
Outras ortografias para Valefar : Malaphar, Malephar, Valafar, Valefor.

MARBAS

Na demonologia, Marbas é um demônio descrito no Ars Goetia, como o Grande Presidente dos infernos, e governa uma legião de trinta e seis demônios. Ele responde a verdade sobre coisas ocultas ou secretas, causa e cura doenças, ensina artes mecânicas, e muda o formato de seres humanos. Ele é retratado como um grande leão que, no âmbito do pedido do mágico, toma forma humana na presença do mesmo.
Selo de Marbas
O nome Marbas, é derivado do nome do latim, "Barbas", barba, Helleborus (uma planta que é utilizada na feitiçaria, especialmente para invocar demônios), e também um nome masculino.

SAMIGINA

Na demonologia, Gamigin (também Gamygin, Gamigm or Samigina), é o grande Marquês do inferno e que governa mais de trinta legiões de demônios. Ele ensina todas as ciências liberais e dá conta das almas das pessoas que morreram em pecado1 2 e também, das pessoas que morreram afogadas3 ,falando com uma voz grossa. Ele também responde ao que lhe é perguntado, e permanece com o Conjurador, até que ele ou ela se sinta satisfeito(a).
Selo de Samigina
Gamigin é descrita como um pequeno cavalo, ou na forma de um burro, formas que podem ser alteradas conforme o pedido do mágico

VASSAGO


Vassago, na demonologia, é um poderoso Príncipe do Inferno (ver Pseudomonarchia Daemonum), governando sobre vinte e seis legiões de demônios.Ele pode ser persuadido a dizer ao mágico de acontecimentos passados e futuros, pode descobrir coisas escondidas e perdeu, e tem uma "boa" natureza.
Ele pode ser descrito em A Chave Menor de Salomão como :
O Terceiro Espírito, é um poderosíssimo Príncipe, sendo da mesma natureza que Agares. Ele é chamado por Vassago. Este espírito é de uma boa natureza, e seu escritório,consiste em declarar coisas passadas e coisas que ainda virão a acontecer, e para descobrir todas as coisas escondias ou perdidas . E ele governa 26 Legiões de Espíritos, e este é o seu selo.
Joseph H. Peterson - The Lesser Key of Solomon (A Chave Menor de Salomão) 
Vassago, por vezes, tem sido chamado de Príncipe da Profecia

AGARES

Na demonologia, segundo alguns autores, Agares (ou Agreas ) é um Duque (ou Grande Duque ), prejudicial à zona oriental do inferno, e sendo servido por 31 legiões de demônios.
Pode fazer fugitivos voltar. Ele também pode causar terremotos e ensina línguas, encontrando prazer em ensinar expressões imorais. Ele também tem o poder de destruir dignidades, tanto temporal e sobrenatural.
Ele é retratado como um homem velho pálido, cavalgando um crocodilo e com um falcão em seu punho



AMON

Na demonologia, Amon (também pronunciado Aamon), é o Marquês dos infernos, e é o sétimo demônio goético, quem governa quarenta legiões do inferno. Sua aparência, é a de um lobo com uma cauda de serpente, chamas do fogo, como vómitos, saem de fora de sua boca. Ao comando de um mago, Amon, pode assumir a forma de homem com uma cabeça de corvo, tendo um dos dentes caninos. Ele fala de todas as coisas passadas e futuras. Ele adquire amor e concilia controvérsias entre amigos e inimigos. Alguns demonologistas[carece de fontes] tem seu nome associado com o deus egípcio Amun ou com o deus Ba'al Hammon, de Cartago.


PAIMON

Na demonologia, Paimon é um dos Reis do inferno, muito obediente a Lúcifer. Ele tem duzentos (cem para outros autores) legiões de demônios sob a sua regra. Ele tem uma grande voz e ruge assim que ele chega, fala-se deste modo por um tempo, até que o mágico o obriga e então, ele responde claramente as questões que a ele é solicitado. Quando o mágico invoca esse demônio, ele tem de olhar para o noroeste (a oeste para outros autores), pois é onde ele tem a sua casa e, quando Paimon aparece, ele deve ser autorizado a pedir o que ele deseja e ser atendido, a fim de obter o mesmo dele.
Paimon ensina todas as artes, ciências, e coisas secretas;ele pode revelar todos os mistérios da terra, do vento e da água, o que a mente é, e tudo o que o mágico quer saber,dá bons familiares e dignidade e confirma os mesmos.Os homens ligam-se a vontade do mágico.
Se Paimon for citado só, alguma oferta ou sacrifício deve ser feito, e ele irá aceitá-lo; então dois reis chamados Beball (Bebal ou Labal) e Abalam (Abalim) irão ter com ele, juntamente com outros espíritos, muitas vezes, vinte e cinco legiões, mas esses outros espíritos nem sempre vêm, a menos que o mágico faça apelo sobre eles.
Paimon é retratado como um homem com um rosto afeminado (um homem forte com um rosto feminino, de acordo com outros autores),vestindo uma preciosa coroa, montado num dromedário e precedido por músicos. Antes de ele ser freqüentemente um anfitrião dos demônios, com a forma de homem, ele tocava trombetas, pratos, e qualquer outro tipo de instrumentos musicais.
Outras ortografias para Paimon: Paimonia, Paymon.

BARBATOS


De acordo com a demonologia, Barbatos, é um dos Duque dos Infernos, governando trinta legiões de demônios e tem quatro reis como seus companheiros para comandar suas legiões. Ele dá a compreensão das vozes dos animais, diz o passado e o futuro, concilia amigos e governantes, e ele pode levar os homens até aos tesouros escondidos, pelo encanto dos magos. Barbatos, é também, um dos três assistentes de Astaroth com Aamon e Pruslas.
Seu nome, parece derivar do latim, "barbatus", barbudo, velho, filósofo.
Ele é mencionado no A Chave Menor de Salomão (grimório).



BUER

Buer, é um espírito que apareceu no século 16, no grimorio da Pseudomonarchia Daemonum (Pseudomonarchia Daemonum), e seus derivados, onde ele é descrito como um grande Presidente do inferno, tendo cinquenta legiões de demónios sob seu comando. Ele aparece quando o Sol está em Sagitário.
Buer ensina Filosofia Moral e Natural, Lógica, e as virtudes de todas as ervas e plantas. Ele também cura as enfermidades, especialmente a dos homens, e dá bons familiares.
Ele é retratado na forma de um Sagitário, que é como um centauro, com um arco e flechas.
De acordo com outros autores, ele ensina Medicina, e tem a cabeça de um leão e cinco pernas cabra, para andar em torno do corpo dele em todas as direções.
Embora a etimologia do seu nome é incerta, curiosamente houve uma antiga cidade chamada "Buer" (agora Gelsenkirchen) na Vestefália, na Alemanha.

GUSION


Na demonologia, Gusion, é o forte e Grande Duque dos infernos, e governa mais de quarenta (quarenta e cinco, de acordo com outros autores) legiões de demônios.
Ele diz a todos os passado, presente e futuro dos acontecimentos, mostra o significado de todas as perguntas que são feitas a ele, reconcilia amigos, e dá honra e dignidade.
Ele é retratado como um babuíno ou de acordo com alguns, sob a forma de um Xenophile.1
Outras ortografias : Gusoin, Gusoyn.



SITRI


Na demonologia, Sitri, é um grande príncipe dos infernos, ele tem o rosto de um leopardo e as asas de um grifo, mas assume a forma de uma bela mulher sob comando do mago.1 Ele é usado para causar amor entre os sexos, e faz as mulheres ficarem nuas.1
Outras ortografias Sitri: Bitru, Sytry.







BELETH

Na demonologia, Beleth e também pronunciado, Bilet, Bileth e Byleth, é um poderoso e terrível Rei do Inferno, que tem oitenta e cinco legiões de demónios sob seu comando. Na sua descrição, ele monta um cavalo pálido, e todo o tipo de música é ouvida antes dele, segundo a maioria dos autores sobre demonologia e os mais conhecidos nos grimorios. Segundo a Pseudomonarquia Daemonum, Cam, o filho de Noé, foi o primeiro a invoca-lo após o dilúvio, e escreveu um livro sobre Matemática com a sua ajuda.
Quando apareceu, ele reagiu de forma muito feroz para amedrontar o mágico ou para ver se ele era corajoso. O mágico deve ser corajoso, e segurando um bastão de "hazel" na mão, deve invocar um triângulo, para o Sul, Leste, e para cima, Beleth ficará assim, comandado por meio dessas evocações.
Se ele não obedecer, o mágico deve ensaiar evocações, dizendo que irá ameaçar a todos e, em seguida, Beleth irá obedecer e fazer tudo o que ele é comandado. Mas o mágico deve ser respeitoso e fazer uma homenagem a Beleth, devido a sua classificação, e manter um anel de prata no dedo médio da mão esquerda contra o seu rosto, como é o uso de reis e príncipes infernais, antes de Amaymon.
Beleth dá todo o amor do homem e da mulher, comandado pelo mágico até ele esteja satisfeito.

LERAJE


Na demonologia, Leraje é um poderoso Grande Marquês do Inferno, que tem trinta legiões de demónios sob seu poder. Ele causa grandes batalhas e conflitos, e faz gangrenas e feridas causadas pelas flechas. Alguns autores, dizem que este demônio pertence ao signo do zodiaco de Sagitário.
Ele é retratado como um vistoso e bonito arqueiro folheados em verde, carregando um arco e aljava.
Outras ortografias : Leraie, Leraikha, Leraye, Loray, Oray.





ELIGOS

Eligos (também Abigor ou Eligor), na demonologia, é um Grande Duque do Inferno, sob o comando de 60 legiões de demônios.
Ele descobre coisas escondidas e sabe do futuro de guerras e de como deve satisfazer os soldados. Ele também atrai coisas a favor dos senhores, cavaleiros e outras pessoas importantes.
Ele é retratado na forma de um excelente cavaleiro transportando uma lança, um estandarte e um cetro (uma serpente para alguns autores, principalmente Aleister Crowley).
Alternativamente, ele é retratado como um fantasma ou algo fantasmagórico, por vezes, cavalgando num semi-esquelético (por vezes alado) cavalo. Este é um escravo de si mesmo do inferno, e era um dom de Belzebu. Foi criado a partir dos restos de um dos cavalos do Jardim do Éden.

ZEPAR

Na demonologia, Zepar é um Grande Duque do inferno, que tenta seduzir mulheres, e se for solicitado por elas, ele pode mudar a sua forma física, para o homem (amante) que elas desejariam ter. Além disso, ele tem o poder de tornar as mulheres estéreis. Ele tem vinte e seis legiões de demónios sob seu comando.
Outros grimórios, dizem que ele faz com que as mulheres amem os homens, e que conseguem junta-los para o amor.
Ele é retratado como um soldado com roupa vermelha e armadura.



BOTIS


Na demonologia, Botis é um grande Presidente e Duque dos Infernos, comandando sessenta legiões de demônios. Ele fala de todas as coisas passadas e futuras, e reconcilia amigos e inimigos.
Ele é retratado como uma feia víbora mas, quando assume a forma humanoide, aparece com grandes dentes e dois chifres, carregando uma espada afiada e brilhante.
Outras ortografias: Otis




BATHIN

Na demonologia, Bathin é o Duque (Grande Duque, de acordo com a Pseudomonarquia Daemonum) do inferno, que tem sob o seu comando, trinta legiões de demônios. Ele conhece as virtudes das pedras preciosas e ervas, e pode trazer homens subitamente de um país para outro.
Ele ajuda a alcançar uma projeção astral, e leva você, onde quer que você quer ir.
Ele é retratado como um homem forte com a cauda de uma serpente, montado num pálido cavalo equitação.
Outras características :
Elemento - Ar
Metal - Chumbo
Planta - Mistletoe 1
Cor de Vela - Púrpura
Carta de Tarô - 10 de Espadas
Outras ortografias : Bathym, Mathim, Marthim.

SALLOS

Na demonologia, Sallos (também pronunciado Saleos), é um poderoso Grande Duque (um Grande Fidalgo, para Johann Weyer), do inferno, sob o comando de trinta legiões de demônios (Weyer não menciona nada relativo as legiões sob o seu comando).
Ele é de uma natureza pacífica, e provoca os homens a amar as mulheres e as mulheres a amar os homens.
Ele é retratado como um valoroso e bonito soldado, vestido de equitação, com uma coroa ducal e montado num crocodilo.


PURSON

Na demonologia, Purson é o Grande Rei do Inferno, sendo atendido e obedecido por vinte e duas legiões de demônios. Ele sabe das coisas ocultas, pode encontrar tesouros, e falar sobre acontecimentos do passado, presente e futuro.
Estando num corpo sob forma humana, ele responde de forma verdadeira, as respostas de todas as coisas secretas e divinas da Terra e da criação do mundo. Ele também traz bons familiares.
Purson é retratado como um homem com o rosto de um leão, transportando uma feroz víbora em sua mão, e cavalgando sobre um urso.
Outras ortografias: Curson, Pursan.

Fim da primeira parte
Espero que tenham gostado.

Parte 02 e Parte 03 

9 comentários:

  1. Ola, Tudo bem? Peço licença para escrever em seu Blog.

    Meu intento.
    Não sou Satanista e,,, na verdade não sigo nenhuma religião.
    Tem um tempinho que venho lendo sobre os Daemons. Tenho lido bastante em seu Blog também.
    Fiquei e estou fascinado com a Goetia. Após ler bastante e sentido necessidade dos serviços dos Daemons, resolvi praticar conjurações.
    Como sou péssimo em desenhar, gastei quase a noite toda de domingo para preparar o círculo mágico, mas, a meu ver? Acho que ficou bom, pois foi feito com muito carinho.
    Como já tinha escolhido o Daemon, comprei as velas, os incensos e fui arranjar um lugar calmo para as conjurações.
    Lá, preparei os sigilo de HAURES. Fiz o banimento menor do Pentagrama, e conjurei Haures várias vezes, mão nãos visualizei nada.

    Fiz duas conjurações. Uma para HAURES e Hoje fiz outra para DANTALIO. Não consegui visualizá-los em nenhuma delas. Mesmo assim, dei as boas vindas, dei a ordem do pretendido e concedi a licença para volver.
    Estou esperando para ver no que vai dar.

    E, se alguém puder me tirar essas dúvidas?
    O que posso fazer para ter contato e visualizar os Daemons?
    É normal que eles não apareçam nas conjuração, mesmo sendo feitas com afinco?
    O que devo fazer? Já que quero entender, conhecer e praticar essa magia?
    Mesmo não os vendo, pode haver a satisfação das ordens?
    Se alguém puder me ajudar, meu email é CARLOSALVES1978@OUTLOOK.COM.BR

    AH!! Antes que me perguntem. Não conjurei os Daemons por brincadeira ou para experiências, mas sim por que tenho e senti necessidade.

    Desde já, AGRADEÇO.

    ResponderExcluir
  2. Quanto a visualizar tais seres fica difícil uma vez que seres do plano astral vibram em frequências diferentes de seres do plano material. Mas vou postar um link para você ler caro amigo. Creio que deve ler todos os textos que estão no link isso aumentara muito seu conhecimento.

    http://www.deldebbio.com.br/2010/09/03/goecia-kiumbas-e-os-demonios-de-verdade/

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, prático goetia a muitos anos, vim praticar goetia satânica a poucos tempo, com ótimos resultados, sozinho ou em grupo, mas não invoquei todos os 72 espíritos, apenas aqueles que senti afinidade. Parabéns pelo conhecimento concedido.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, prático goetia a muitos anos, vim praticar goetia satânica a poucos tempo, com ótimos resultados, sozinho ou em grupo, mas não invoquei todos os 72 espíritos, apenas aqueles que senti afinidade. Parabéns pelo conhecimento concedido.

    ResponderExcluir
  5. Apocalipse 22
    …14 Bem-aventurados todos os que lavam as suas roupas no sangue do Cordeiro, e assim ganham o direito à árvore da vida, e podem adentrar na Cidade através de seus portais. 15 No entanto, fora estão os cães, os bruxos e ocultistas, os que cometem imoralidades sexuais, os assassinos, os idólatras e todos os que amam e praticam a mentira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”
      João 8:32

      Excluir
    2. Ta, e o Livre arbítrio meu querido? Se tu é cristão tu não pode julgar, deixa deus julgar e não seja hipócrita, tu ta idolatrando a bíblia citando ela..

      Excluir
    3. Ai eu pergunto, eu vou no yotube videos de ocultismo tem varios evangelicos e cristaos criticanto, vou google a mesma coisa, facebook. Tbm. Ah fala serio se acham que sao domoniaco e eles santos o que fazem entao assistindo e bendo coisas demoniacas o santos anjos

      Excluir
  6. tem um monte de idiotas ai que ficam querendo pregar sobre a biblia se realmente soubessem como é o inferno iriam querer ir direto para ele

    ResponderExcluir