Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

quarta-feira, 1 de março de 2017

Menu Mitologia Oriental: Os Ashura

OS ASHURA

Ashura são temíveis deuses demônio com múltiplos rostos e braços. Eles são mais ou menos como seres humanos na aparência, embora seu tamanho, força e numerosos apêndices os distinguem dos meros mortais.

Ashura são guerreiros acima de tudo e vivem para a batalha. Eles adoram combater, guerrear e destruir coisas. Eles têm enormes egos; Ashura sempre desejam ser melhores que os outros, não têm paciência para aqueles mais fracos do que são, e preferem resolver qualquer problema com a violência.

Existem muitos tipos diferentes de ashura. Alguns são considerados deuses e outros demônios. Ashura são fortes, poderosos e mágicos. Em muitos aspectos, eles são muito superiores aos seres humanos. Eles experimentam mais prazer do que aqueles no reino humano, e vivem muito mais tempo. No entanto, eles são controlados por intensas paixões - ira, orgulho, violência e ganância - que, apesar de sua existência cheia de prazer, eles estão constantemente lutando e nunca em paz. Ashura também são envoltos com ciúme; Renascer como um ashura significa ser lembrado constantemente quanto melhor teria sido a vida se você tivesse renascido num reino celestial em vez de Ashuradō.

No budismo japonês, depois que alguém morre, eles acabam por renascer em um dos 6 reinos budistas: Tendō, o reino do céu; Ningendō, o reino dos seres humanos; Ashuradō, o reino de ashura, Chikushōdō, o reino de animais; Gakidō, o reino dos fantasmas famintos; E Jigokudō, o reino do inferno. Destes, apenas dois reinos são considerados renascimentos "felizes" - o reino celestial e o reino humano. Dos reinos restantes, o reino de Jigoku é o mais mau, seguido por Gakidō. O reino dos animais não é um bom renascimento, porque os animais são governados por seus desejos e, portanto, não podem obter a iluminação. Ashuradō, o reino do ashura, é o menos desagradável dos renascimentos "infelizes".

Em algumas tradições budistas, o reino de ashura é considerado o nível mais baixo do céu, e é incluído entre os "felizes" renascimentos. Entretanto, como os ashura são tão controlados por suas emoções, é quase impossível para eles alcançar a iluminação, tornar-se buddhas, e escapar do ciclo de intermináveis ​​reencarnações. Almas que renascem aqui são geralmente seres humanos que viveram boas vidas até certo ponto, mas cometeram alguma ação perversa que os impede de renascer no reino do céu.

2 comentários:

  1. E muito bom esse blog continuem assim!obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficamos imensamente felizes que nossos leitores gostem do conteúdo. Muito obrigado amigo leitor.

      Excluir