Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

domingo, 16 de março de 2014

Mitologia Oriental: O guerreiro Hou Yi e os 10 sóis

O GUERREIRO HOU YI E OS DEZ SÓIS

Uma curiosidade: existe um fenômeno que cria a ilusão de dois ou até mais sóis. Ela é criada por cristais de gelo que se acumulam em nuvens a seis mil metros de altura.
Conta-se que durante o reinado do imperador Yao apareceram dez sóis no céu, o que fez com que a terra ficasse muito seca.  È que a mãe-sol Xibe havia gerado dez filhos.  Eles moravam todos juntos no lago Tanggu, que ficava do outro lado do mar. Como eles sempre brincavam nesse lago, as águas dele eram sempre muito quentes. No centro desse lago havia uma gigantesca árvore onde os sóis descansavam. A cada dia, alternadamente, cumpria a um deles dar um giro na terra para iluminá-la. Mas eles gostavam muito da terra e lamentavam o fato de que somente um por vez poderia descer à terra, enquanto os outros teriam de esperar sua vez. Por isso juntos eles decidiram ir brincar nos céus.
O resultado foi uma seca terrível, que afetava plantações e homens. Comovido com o sofrimento do seu povo, o soberano Yao rogou ao Imperador Celestial para que os livrasse daquela seca. Este mandou imediatamente um guerreiro chamado Hou Yi para castigar os sóis.

Foi dado a ele um arco vermelho com dez flechas brancas. O herói, um a um foi destruindo os sóis que se despedaçavam e jogavam chamas na terra. Porém, quando ele ia lançar a última seta o imperador o deteve, pois a luz do sol é importante para os seres vivos.
  Por esse ato de bravura o guerreiro foi convidado pelos habitantes chineses a morar na terra. Ele aceitou e ainda livrou os chineses de muitas criaturas ferozes.
 Um dia quando atravessava um riacho, estando ele com muita sede avistou uma jovem que bebia água em um bambu.  Ele pediu para usar o bambu e ela cedeu. O nome da jovem era Chang E. Ela havia perdido seus pais, vítimas dos animais selvagens que existiam naquela região. Ele a consolou e pouco tempo depois ela tornou-se sua esposa.
  Mas havia um problema: ela era mortal, por isso quando ela morresse os dois ficariam separados. Ele então foi em busca da mãe-imperatriz, que tinha o elixir da imortalidade. Quando chegou lá foi aconselhado por ela para que o conteúdo fosse dividido entre os dois, caso contrário um deles se tornaria um ser divino e voaria para o céu de maneira que nunca mais retornaria à terra. Com o elixir em mãos, retornou à sua casa e o entregou para sua esposa para que o guardasse.
   Um vizinho invejoso, sabendo do elixir tentou tomá-lo de Cheng E enquanto Hou Yi tinha saído. Ela tomou todo o conteúdo do frasco, começou a sentir-se leve e voou para o céu até chegar à lua, tornando-se assim a deusa lunar. Quando o herói voltou e viu que sua esposa não estava lá ficou muito triste. Foi quando ele olhou para o céu, viu a lua brilhante e Chang E nela. Desde então a deusa foi condenada a viver solitária na lua, chorando eternamente por Hou Yi.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário