Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Mitos e Lendas: Jack Risonho - Creepy Pasta

JACK RISONHO

Era um dia bonito de verão, meu filho James, de 5 anos, estava brincando lá fora, no quintal de nossa casa suburbana.
James sempre foi um menino quieto, ele brinca sozinho na maioria das vezes, ele nunca teve muitos amigos, mas sempre teve uma imaginação fértil.
Eu estava na cozinha alimentando o nosso cão Fido, quando ouvi algo que parecia James conversando com alguém no quintal. Não tenho certeza de quem ele poderia estar falando, ele poderia finalmente ter feito um amigo? Ser uma mãe solteira é difícil para mim, pois nem sempre posso me manter de olho no James, então decidi ir para fora para checar se ele estava bem.
Quando fui para o quintal e fiquei um pouco confusa, porque James era a única pessoa lá, ele estava falando com ele mesmo? Eu posso jurar que ouvi outra voz dizendo: ''James vamos! É hora de entrar. Eu o chamei e ele se sentou na mesa da cozinha. Era o lanche da tarde, então eu decidi fazer um sanduiche de peru.
''James, com quem você estava falando lá fora?'' Eu perguntei. Ele olhou para cima por um momento ''Era o meu novo amigo'' Ele disse sorrindo. Eu lhe servi um pouco de leite e continuei a perguntar, como qualquer boa mãe faria. '' Seu amigo tem um nome? Por que ele não veio lanchar com agente?'' James me fitou antes de responder.
'' Seu nome é Jack Risonho'' Eu fiquei um pouco desentendida quando ele me falou.
'' Nossa, que nome estranho! Como é seu amigo?'' Eu perguntei, um pouco confusa. ''Ele é um palhaço. Tem cabelo longo e um nariz listrado em forma de cone. Ele tem longos braços e calça larga e meias listradas. Ele sempre sorri''. Eu percebi que se tratava de um amigo imaginário. Supus que para crianças dessa idade, era comum ter amigos imaginários, especialmente quando não se tem amigos reais para brincar, provavelmente era apenas uma fase.
O resto do dia foi normal, e estava começando a ficar tarde, então eu pus James na cama, cobri ele e o beijei. Fiz questão de ver se sua luz noturna estava acesa. Eu estava muito cansada, então não demorou muito tempo para eu ir para a cama também, e tive um pesadelo horrível...
Estava escuro, eu estava em um tipo de parque de diversões abandonado, eu estava assustada, correndo pelas infinitas tendas vazias, brinquedos quebrados e barracas de comida. O lugar todo estava horrível! Tudo era preto e branco, os prêmios de pelúcia estavam todos pendurados nas tendas, com um sorriso doentio costurado em seus rostos, parecia que o parque todo olhava pra mim, até mesmo quando não tinha um sinal de vida. Quando subitamente, comecei a ouvir uma musica, O som dos Pop Goes the Weasel que estava sendo tocada em uma sanfona ecoou por todo o parque, era hipnotizante. Segui sua melodia para a tenda de circo quase em transe, incapaz de parar as minhas pernas de avançar. Era escuro, a única luz vinha de um único projetor que brilhava no centro de uma grande tela, enquanto eu caminhava em direção a luz, a musica se tornou maior, e eu me vi incapaz de parar de cantar:

''Em volta da amoreira
O macaco perseguiu a doninha
Na cabeça do macaco era tudo brincadeira''

A música parou bem antes do seu clímax e subitamente as luzes se acenderam. A intensidade das luzes praticamente me cegou, tudo o que eu podia ver era uma pequena silhueta preta. Então outra apareceu, e outra, e outra. Tinha muitas delas, todas vindo atrás de mim. Eu não conseguia me mover, minhas pernas estavam congeladas, tudo o que eu podia fazer era observar as silhuetas chegando mais perto, quando elas chegaram realmente perto, eu pude ver. ERAM CRIANÇAS! Mutiladas e desfiguradas
algumas tinham cortes em todo o corpo, outras foram seriamente queimadas, outras faltavam membros, até mesmo olhos! As crianças me cercaram, arranhando minha pele, me levando até o chão, e rasgando dentro de mim. À medida que as crianças me rasgaram em pedaços, tudo foi desaparecendo, tudo que eu podia ouvir era um riso, horrível, maléfico, terrível
Eu acordei na manhã seguinte, em um suor frio. Depois de respirar algumas vezes, vi que os bonecos de James estavam na mesa da cabeceira, me olhando.
Eu suspirei, James provavelmente tinha acordado cedo e colocado ali. Juntei os brinquedos e caminhei para o quarto de James, mas quando eu abri a porta, James ainda estava dormindo, eu apenas dei de ombros e guardei os brinquedos de volta em sua caixa, e fui para a sala de estar. Mais tarde, James acordou e lhe fiz um pequeno almoço, ele estava quieto e parecia meio lesado, talvez ele não tenha dormido bem também. Eu decidi perguntar sobre os brinquedos. '' James, querido, você colocou alguns brinquedos no quarto da mamãe hoje?'' Seu olhos se levantaram por um momento e rapidamente voltaram para o cereal. '' Jack Risonho fez isso'' eu fiz uma volta com meus olhos e disse '' Bem, fale para o ''Jack Risonho'' parar de fazer isto.
James concordou, terminou seu café da manha e foi brincar no quintal.
Fui relaxar na sala de estar e devo ter cochilado porque eu acordei um par de horas mais tarde. "Merda! Eu preciso verificar o James" Eu estava preocupada, já faziam mais de 2 horas desde que eu verifiquei o James. Sai para o quintal mas James não estava mais lá. Eu estava ficando nervosa então o chamei. '' JAMES!''
Só então eu ouvi uma risada veio do quintal da frente, corri para a frente da casa e James estava sentado na calçada, dei um suspiro de alivio. '' James, quantas vezes eu já te falei para não ir para o qui... James o que esta comendo?'' James me fitou e tirou do bolso varias balas de cores sortidas. Isso me deixou nervosa.'' James! Quem te deu esses doces?''. James só me olhou sem responder.'' James, por favor conte para a mamãe quem te deu esses doces!'' A cabeça de James abaixou. '' Jack Risonho me deu'' Meu coração deu uma batida forte. '' JA ESTA NA HORA DE SABER QUE O JACK RISONHO NÃO É REAL! Agora nos temos uma situação seria e eu precisa saber quem te deu esse doce!'' eu disse, nervosa. Eu podia ver as lagrimas nos olhos do meu filho. '' Mas mamãe! Jack Risonho me deu!'' Eu fechei meus olhos e respirei fundo. James nunca mentiu para mim, mas aquilo que ele estava dizendo era impossível. Eu lhe fiz jogar o doce fora e cuspir o que tinha comido. Talvez eu esteja muito impulsiva, talvez ele só tenha pego o doce dos nossos vizinhos, Tom e Linda.
De qualquer forma eu vou ter que ficar de olho no James. Naquela noite, eu coloquei James para a cama como de costume, e decidi ir para a cama cedo.
Acordei de repente com um estrondo vindo da cozinha. Eu pulei da cama e corri para a cozinha. O que vi foi aterrorizante, tudo que estava nas prateleiras estava no chão, e nosso cachorro fido, estava pendurado por uma corda, seu estomago tinha sido aberto e cheio do mesmo doce que James estava comendo. Meu choque foi rapidamente quebrado por um berro vindo do quarto do James. Tudo em seu quarto estava quebrado e jogado no chão, Meu filho estava chorando e tremendo na cama. Uma piscina de mijo na cama. Eu abracei meu filho e fui até a casa de Tom e Linda, por sorte eles ainda estavam acordados. Eles me deixaram usar o telefone e chamei a policia, eles me olharam come se fosse louca.
O oficial me disse que alguém tinha provavelmente entrado na casa e fez isso antes de sair quando me ouviu subindo as escadas. Eu sabia que não era verdade. Todas as portas estavam fechadas e nenhuma das janelas estavam abertas, o que estava na minha casa não veio de fora.
No dia seguinte, James não saiu para brincar, eu não queria que ele sumisse da minha vista. Eu entrei na garagem e achei o seu velho monitor de bebe. O peguei para configurá-lo em seu quarto. Se alguma coisa viesse em seu quarto hoje à noite, eu seria capaz de ouvir. Eu fui para a cozinha e agarrei a maior faca da gaveta para colocá-la na minha mesa de cabeceira. Amigo Imaginário ou não, eu não vou deixar qualquer coisa machucar meu pequeno menino. A noite veio rápido, eu pus o James na cama, ele estava com medo mas prometi que eu não iria deixa nada machuca-lo. Eu lhe cobri, dei-lhe um beijo e liguei a sua luz noturna e antes de fechar a porta lhe disse:'' Boa noite James''.
Tentei ficar acordada algumas horas, mas estava com muito sono. Meu filhinho ficaria bem por uma noite e eu precisava dormir. Fui acordado por um barulho.
No início parecia uma interferência, como qualquer rádio faria. Em seguida, ele se transformou em um gemido. Foi o James dormindo? Então eu ouvi, a risada do meu pesadelo, aquela risada horrível. Eu pulei da cama e peguei faca debaixo do meu travesseiro. Corri para o quarto de James e abri a porta. Eu tentei ligar o interruptor de luz, mas a luz não ligava. Eu dei um passo e eu podia sentir o líquido espesso quente em meus pés. De repente a luz noturna de James ligou e eu pude ver o horror absoluto estabelecido na minha frente.
Corpo de James foi pregado na parede, as unhas perfuradas através de suas mãos e pés. Seu peito foi cortado aberto e seus órgãos estavam no chão. Seus olhos e língua tinham sido removido junto com a maioria de seus dentes. Eu fiquei com nojo, eu mal podia acreditar que aquilo era o meu menino. Então eu ouvi novamente, o desesperado gemido. JAMES ainda estava vivo! Meu bebê, minha pobre criança, com tanta dor. Eu corri através do quarto e vomitei no chão, mas fui interrompida por uma gargalhada horrível vindo atrás de mim. Virei-me enquanto ainda enxugava o bile da minha boca, em seguida, pelas sombras surgiu o demônio responsável por tudo isso, Jack Risonho. Seus cabelos negros emaranhados caíam até os ombros. Ele tinha penetrantes olhos brancos cercados por anéis pretos escuros. Seu sorriso torto revelou uma fileira de dentes afiados, e sua pele não se parecia com pele, ela quase se parecia de borracha ou de plástico. Ele usava uma roupa de palhaço com listras pretas e brancas e com mangas listradas e meias. Seu próprio corpo era grotesco, seus longos braços pendurados para baixo depois de sua cintura e do jeito que ele estava fez o parecer quase sem ossos, como uma boneca de pano. Ele soltou uma risada doentia, como se fosse para me avisar que estava satisfeito com a minha reação ao seu 'trabalho'. Então virou-se lentamente na frente de James e começou a rir ainda mais. Isso foi suficiente para transformar o meu terror em raiva, "Saia de perto dele seu bastardo!" Corri para o monstro levantando a faca em cima da sua cabeça e esfaqueando ele, mas assim que a faca tocou ele o monstro desapareceu em uma nuvem de fumaça negra. A faca simplesmente continuou e perfurou o coração ainda batendo de James, espirrando o sangue quente em meu rosto ....

Não ... o que eu fiz? Meu filhinho, eu matei o meu filho! Eu imediatamente cai de joelhos, e eu podia ouvir as sirenes a distância cada vez mais altas ... O meu menino, meu doce James ... Eu prometi que a mamãe iria protegê-lo ... Mas eu não ... Me desculpe James ... Eu sinto muito ...

A polícia logo chegou me encontrou na frente do meu filho, ainda com a faca coberta de sangue do James. O julgamento foi curto e justo. Eu fui colocada na prisão, onde estive nos últimos 2 meses. Não é tão ruim aqui, a única razão pela qual eu estou acordada agora, é porque alguém está jogando Pop Goes the Weasel, mas ninguém consegue ouvir...

Nenhum comentário:

Postar um comentário