Bem Vindos

Ola amigos bem vindos a Arcanoteca um espaço para RPG, mitologia, contos e curiosidades, esperamos que gostem do nosso conteúdo e nos visitem com frequência. (amigos nós não temos pop ups por favor deixem o seu ADblock desativado para nosso site pois isso nos ajuda muito a manter a Arcanoteca)

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Menu Mitologia Egípcia: Meretites e Kahai

MERETITES E KAHAI



Em 1966, arqueólogos que escavava a necrópole de Saqqara,  descobriu uma  tumba, pertencente ao casal   Meretites e Kahai – sacerdotisa e cantor respectivamente – um casal que viveu  nos longínquos tempos do Antigo Egito. 

Entre as obras de arte e artefatos estava um interessante relevo policromado que representava um casal apaixonado. Nele Meretites aparece descansando a mão sobre o ombro de Kahai e ambos se olham fixamente nos olhos.

A conclusão do trabalho foi publicado em um  livro em 1971, em preto e branco mas as fotografias não refletiam toda a glória da câmara mortuária, especialmente no tocante ao relevo de Meretites e Kahai. Essa foi uma das razões para uma nova equipe de estudiosos retornar a Saqquara.

Entre os pesquisadores que adentraram novamente na tumba, estava a arqueóloga Miral Lashien, membro do Centro Australiano de Egiptologia da Universidade Macquarie. Em  trabalho recente, Miral revela que depois de estudar o relevo e as inscrições do recinto, ela pode reconstruir em detalhes a vida do casal e de sua família.

Kahai atuou como cantor no palácio do faraó Niuserre, chegando a ocupar o cargo de "cantor inspetor". Ele também exerceu tarefas administrativas, razão pela qual viveu, com sua esposa e filhos junto à riqueza e o esplendor da corte egípcia. Pelo mesmo motivo, o  casal teve um sepultamento digno das pessoas mais importantes da época.

O próprio relevo é bastante incomum, porque naquele tempo representações artísticas com demonstrações de afeto, como a do casal se acariciando, eram extremamente raras. 

Graças às inscrições deixadas no túmulo notaram que Kahai e Meretites não escaparam de uma tragédia familiar. O casal viveu com a tristeza da morte de um de seus filhos, Nefer,  também cantor, que deixou  vários filhos pequenos e uma esposa grávida.

Quando os arqueólogos abriram a tumba em 1966, encontraram em seu interior restos humanos mumificados, porém é impossível afirmar que eles sejam do casal e sua família, que originalmente foram enterrados ali, pois essas tumbas eram muitas vezes reutilizadas pelos egípcios ao longo dos séculos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário